MENSAGEM

"NENHUM DE NÓS É TÃO BOM QUANTO TODOS NÓS JUNTOS!"
Ray Kroc

10 de mai de 2012

Barbara Ottoni


Barbara Balbina de Araújo Maia Ottoni foi esposa do Senador Christiano Benedito Ottoni.  Casou-se com Christiano Benedito Ottoni, com 15 anos, em 30 de novembro de 1837. Foi ancora de uma família do final do século XIX, em que  a afetividade e o respeito mútuo eram fundamentais. Bárbara Ottoni gostava de passear a cavalo, tomar banho de mar  e escrever cartas aos netos que viviam fora do Brasil.
Morreu em 18 de julho de 1900.



Barbara gostava de fazer pães doces e bolos para receber seus familiares.
 No mês de maio, em homenagem a sua  data de nascimento -10 de maio de 1822, 
 a Equipe Técnica Pedagógica prepara o Chá da Barbara.
A louça do chá é retirada do armário do refeitório.
E a diretora Taíssa é sempre escolhida para fazer esta retirada.
Mas, antes do Chá é preciso olhar para o nosso passado e rever nossas fotos antigas.


Para o Chá ficar completo, sempre recebemos a visita de ex-professoras.
 Lemos as cartas de Barbara Ottoni para os netos, comemoramos a chegada dos novos integrantes da Equipe Barbara Ottoni, fazemos um maravilhoso lanche coletivo e lembranças são distribuídas:
  esta é uma data inesquecível.
 Barbara Ottoni: nossas sinceras homenagens.

4 comentários:

  1. Dona Bárbara deve estar muito feliz com tanta delicadeza , capricho e sensibilidade nos detalhes.
    Simplesmente lindo !!!
    Como recentemente cadastrei o email no blog , fico sempre por dentro das novidades .
    Apaixonante !!!

    ResponderExcluir
  2. Eu debutei no chá da Bárbara e posso dizer que é algo maravilhoso, pois o clima é de pura alegria e confraternização. Todos os detalhes são preparados com muito carinho e zelo, afinal é uma tradição que ocorre a alguns anos.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Esqueci de comentar do acerto de vocês ao terminar esse post com a bonita montagem da foto com as xícaras .
    A sensação que me passou ,vendo-as sorridentes debruçadas foi de um convite ao passado ; onde o tempo corria mais devagar e tudo tinha um sabor digamos mais apurado .

    ResponderExcluir
  4. Esqueci de comentar do acerto de vocês em terminar esse post com a montagem da foto com as xícaras .
    A sensação que tive vendo-as sorridentes e debruçadas ,foi como um convite ao passado; onde o tempo corria mais devagar , onde sabores e encontros eram verdadeiramente saboreados .

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui: